O Geronte Activo

12/03/2015 Uncategorized

O Geronte hoje em dia, representa uma grande “maioria” da população Ocidental. As melhorias das condições de vida, os serviços de saúde, os avanços da ciência neste domínio em particular vieram ajudar grandemente ao aumento do tempo de vida das pessoas. Diz-nos Jonathan Swift “…todos os homens desejam viver muito tempo, mas nenhum quer ser velho.” No entanto ter mais tempo de vida pode não significar melhor vida, e isto acontece na maioria dos casos. O geronte nestes casos, volta a “ser”, de novo, (ou a representar um papel) de dependente dos familiares, amigos ou instituições, os quais, por vezes, se limitam a esperar o seu fim. geronteEsta perspectiva de “vida”, pensamos, é demasiadamente estática, portanto condicionadora de comportamentos e desenvolvimentos desajustados dos tempos de hoje. Cremos, assim, que, como seres vivos e pensantes, podemos desenvolver melhores estratégias. Para isso é urgente contextualizar e personalizar os problemas. Neste sentido defendemos que o Homem não tem um desenvolvimento contínuo. O que acontece, é que este desenvolvimento não se faz unicamente entre períodos de corte ou de crise, quando há estabilidade. Faz-se, igualmente, talvez de forma mais profunda, durante as crises, quando é necessário tomar decisões sobre os novos caminhos a seguir. As fases críticas não acontecem só na criança, também o adolescente, o adulto, o geronte as apresentam. Naturalmente que com outros propósitos, outras características que serão próprias da fase em que se encontram. E, salientamos, quando falamos de períodos críticos, estes correspondem a períodos de transição no desenvolvimento.